Efeito Sanfona é o nome popular para ciclos de perda e ganho peso.

As consequências trazidas pelo efeito sanfona vão mais além do que o reganho de peso, pois ele exerce efeitos deletérios ao organismo, tanto que é “pior” emagrecer e engordar do que permanecer acima do peso.

Cada vez que você engorda e emagrece, leva-se mais tempo para perder a mesma quantidade de peso corporal e menos tempo para recuperá-lo, por razões metabólicas e comportamentais.

Uma perda de peso seguida por ganho, aumenta ainda a tendência do acúmulo de gordura visceral que está localizada na região interna do abdômen, próximo aos órgãos vitais (intestino, fígado, rins, pâncreas, coração e vasos). Esta gordura está associada ao aumento dos níveis de triglicerídeos, LDL, redução do HDL, resistência à ação da insulina e consequente aumento da glicemia e esteatose hepática, resumindo: Síndrome Metabólica.

No processo de reganho de peso ocorre também a hiperplasia dos adipócitos (aumento do número de células que armazenam gordura no tecido adiposo) para maior armazenamento de energia como um mecanismo de defesa do organismo, pois ele tenta se adaptar a situação de restrição, armazenando mais energia para garantir que não vá faltar “suprimento para o seu funcionamento”.

Para evitar o efeito sanfona, mude os seus hábitos de vida! Mantenha bons hábitos alimentares, pratique atividade física, mantenha uma mente saudável. Fuja de dietas que prometem resultados rápidos, nada é milagroso! Além disso, pode custar caro para a sua saúde! Procure a ajuda de um profissional para orientá-lo.

Ana Amaral – Nutricionista